Quatro PMs estavam presos desde o último dia 6 de setembro. Soltura atendeu a um pedido do Ministério Público. Militares estão proibidos de terem de contato com a família da vítima e tiveram os trabalhos externos suspensos.

O Tribunal de Justiça do Rio mandou soltar os quatro policiais militares envolvidos na morte do adolescente Thiago Flausino, de 13 anos, no dia 7 de agosto deste ano, na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, durante uma operação policial.

Os agentes estavam presos preventivamente deste o dia 6 de setembro. A decisão de soltura é do juiz Leonardo Rodrigues da Silva Picanço da Auditoria Militar e é datado da última quinta-feira (28).

Roni Cordeiro de Lima, Diego Pereira Leal, Aslan Wagner Ribeiro de Faria e Silvio Gomes dos Santos foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por crime de fraude, pois apresentaram uma pistola e munição, atribuindo à vítima.

Já o capitão Diego Geraldo de Souza, que comandava o foi denunciado por prevaricação e fraude processual por omissão, e foi afastado da função pública. Ele também está proibido de entrar em qualquer unidade da Polícia Militar.

A soltura atendeu a um pedido do MPRJ, que foi favorável a suspensão da prisão preventiva.

No despacho da soltura, o magistrado decretou medidas cautelares para conceder a medida, como a proibição de contato com a família da vítima e a suspensão de trabalhos externos dos PMs.

1 Visualizações totais
1 Visualizações hoje