O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), afirmou nesta terça-feira (4) que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não tem “compromisso” de sancionar o texto da medida provisória que afrouxa regras do combate ao desmatamento na Mata Atlântica.

A Câmara dos Deputados modificou e aprovou na quinta-feira (30) uma medida provisória, editada ainda no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, que altera a Lei da Mata Atlântica e flexibiliza regras de combate ao desmatamento no bioma.

“Eu quero deixar muito explícita a posição do governo. O governo não tem compromisso de sanção com qualquer alteração no Congresso Nacional que faça, que significa agressão ao meio ambiente. Seja na Mata Atlântica ou seja em qualquer outro ecossistema no nosso país”, afirmou Padilha.

Segundo ambientalistas, o texto aprovado, na prática, “acaba com a aplicação” da lei. A matéria vai ao Senado. 

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), afirmou nesta terça-feira (4) que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não tem “compromisso” de sancionar o texto da medida provisória que afrouxa regras do combate ao desmatamento na Mata Atlântica.

A Câmara dos Deputados modificou e aprovou na quinta-feira (30) uma medida provisória, editada ainda no governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, que altera a Lei da Mata Atlântica e flexibiliza regras de combate ao desmatamento no bioma.

“Eu quero deixar muito explícita a posição do governo. O governo não tem compromisso de sanção com qualquer alteração no Congresso Nacional que faça, que significa agressão ao meio ambiente. Seja na Mata Atlântica ou seja em qualquer outro ecossistema no nosso país”, afirmou Padilha.

Segundo ambientalistas, o texto aprovado, na prática, “acaba com a aplicação” da lei. A matéria vai ao Senado. 

1 Visualizações totais
1 Visualizações hoje