A advogada Pâmela Mendes contou que a cliente alega ter sofrido importunações sexuais entre quarta e sexta-feira (4). Paulo Roberto Falcão anunciou o pedido de demissão do Santos FC e negou que tenha importunado sexualmente a mulher.

A advogada da recepcionista do apart hotel em Santos, no litoral de São Paulo, disse que o ex-jogador da seleção brasileira Paulo Roberto Falcão encostou o órgão genital no braço cliente, que registrou o caso na polícia. Em entrevista ao g1, Pâmela Mendes informou que a situação aconteceu duas vezes em três dias. Depois de ser denunciado por suspeita de importunação sexual, Falcão negou o caso e pediu demissão do cargo coordenador de futebol no Santos FC.

A primeira abordagem de Falcão, segundo a advogada, aconteceu na última quarta-feira (2) e, última nesta sexta-feira (4). Nas ocasiões, o ex-jogador e dirigente teria entrado em área restrita a funcionários para ter acesso à suposta vítima.

Segundo Pâmela, ele teria iniciado conversas sobre objetos na mesa enquanto se aproximava da recepcionista, que estava sentada. Nesse momento encostou o órgão genital no braço dela.

“Ela não consegue falar muito. Está abalada. Só teve coragem de fazer o Boletim de Ocorrência porque outras pessoas que viram afirmaram que, realmente, ele agiu com importunação. Não foi um descuido”, disse a advogada, sobre a cliente, que não quer ser identificada.
Pâmela afirmou que a suposta vítima tem 26 anos e trabalha desde o início de 2023 no apart hotel, localizado no bairro Aparecida, em Santos, no litoral de São Paulo. A advogada afirmou que a cliente nunca teve contato íntimo com o ex-jogador além da rotina profissional no condomínio.

O caso foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Santos. Por meio de nota, Falcão anunciou a própria demissão do Santos FC e negou ter cometido importunação sexual.

Falcão é denunciado por suspeita de importunação sexual por funcionária de apart hotel
Falcão anuncia demissão do Santos FC em respeito à torcida e nega importunação sexual
Importunações
A advogada informou que a cliente é contratada para a vaga de ‘portaria’ por uma empresa terceirizada. Com base nos depoimentos da suposta vítima, a profissional disse que a decisão de registrar o caso em uma delegacia aconteceu logo após o segundo episódio.

“Dessa vez ele se esfregou de uma forma mais bruta. Da primeira vez, normalmente a vítima não tem consciência [do que aconteceu]. Achou que poderia ser um descuido dele”, disse a advogada. “Na segunda, sentiu realmente que foi uma importunação”.
Pâmela afirmou, por fim, que ao menos uma pessoa – um funcionário da área da limpeza – presenciou a importunação sexual de Falcão contra a jovem.

Por meio das redes sociais, Falcão afirmou: “Em respeito à torcida do Santos Futebol Clube, pelos recentes protestos diante do desempenho do time em campo, decidi deixar o cargo de coordenador esportivo”, disse.

Falcão ressaltou que o primeiro sentimento dele, ao tomar a decisão, é de defender a imagem da instituição. “Sobre a acusação feita nesta sexta-feira, que recebi com surpresa pela mídia, afirmo que não aconteceu”.

Paulo Roberto Falcão, de 69 anos, nasceu em Abelardo, Santa Catarina. Antes de ser dirigente de futebol foi jogador, treinador e comentarista esportivo.

6 Visualizações totais
1 Visualizações hoje