Hamilton Bezerra Flausino, tio de Thiago Menezes Flausino, o menino de 13 anos que morreu baleado no início da madrugada desta segunda-feira (7) na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, afirmou que o sobrinho foi executado por um PM quando já estava caído no chão.

Mãe de Thiago, Priscila Menezes disse que a família está muito abalada “com o fato de estarem acusando uma criança de 13 anos de ser envolvida com tráfico”.

Hamilton Bezerra Flausino, tio de Thiago Menezes Flausino, o menino de 13 anos que morreu baleado no início da madrugada desta segunda-feira (7) na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, afirmou que o sobrinho foi executado por um PM quando já estava caído no chão.

Mãe de Thiago, Priscila Menezes disse que a família está muito abalada “com o fato de estarem acusando uma criança de 13 anos de ser envolvida com tráfico”.

“Ele não era nada. Ele era apenas um adolescente ceifado por essa necropolícia que a gente tem no nosso estado. Mais uma vítima que entra para a estatística.”

A família ainda acusa a Polícia Militar de ter adulterado o registro de uma câmera de segurança a fim de apagar a ação.

“O Thiaguinho estava passeando de moto com um amigo, saindo da Cidade de Deus, que foi abordada já a tiro. Um tiro pegou na perna, o Thiaguinho caiu, aí a gente tem um trechinho da imagem, que vê o Thiago no chão, ainda vivo, e o policial acaba de executar ele”, descreveu o tio.

“Hoje em dia as câmeras têm internet, bluetooth. Eles conseguiram, com o celular, ter acesso e apagaram só a parte da execução, mas a gente tem um minuto antes e, após um minuto e um pouquinho, continua a imagem. Dá para ver ainda um pedaço do corpo do PM dando o último tiro para executar ele no chão”, detalhou.

Os familiares do menino estiveram no Instituto Médico-Legal (IML) na manhã desta segunda (7) e rechaçaram a versão da corporação de que Thiago e o amigo que pilotava a moto estavam com uma pistola.

“A polícia divulgou a ocorrência registrada na Delegacia de Homicídios. E eles afirmaram que fugiram da moto segundo a informação dos policiais. Claro, já tinham tiros, já estavam dando tiros. E aí eles caem, segundo os policiais. E que um desses garotos que estavam na moto teria atirado. Impossível, impossível, impossível, impossível”, afirmou Hamilton.

Parentes também acusam a PM de adulterar a cena do crime.

“Não teve tiroteio, não teve tiroteio. Até porque o pessoal foi se chegando para fazer tipo uma manifestação ali. Nós, familiares, já estávamos ali, chegamos muito rápido. Então a gente ia comandando, gente, não precisa fazer negócio de queimar pneu. Não, não, não, está tranquilo, deixa que a gente vai resolver pacífico. E assim foi, mas eles forjaram um tiroteio, dando um tiro”, disse Hamilton.

Nenhum dos policiais do Choque presentes na ação usava câmeras nas fardas, o que poderia ajudar a identificar de onde partiu o tiro que atingiu e matou Thiago.

A família afirma que deseja justiça no caso e nega que o menino tivesse envolvimento com o crime.

“A ficha ainda não caiu. A gente não quer aqui aquele sentimento de vingança contra os policiais. A justiça a gente sabe que é falha. A única que funciona é a de Deus, mas a gente quer pelo menos que tirem essa imagem, que o Thiaguinho estava com arma. Isso é mentira. É uma crueldade fazer isso com a criança. Ele não estava com arma, não andava com arma, não andava fazendo furto, usando droga, bebendo, não era nada disso. O Thiaguinho era totalmente um adolescente fora dessas coisas. Vocês sabem que o futebol, o esporte, tira a criança desses negócios. Era a vida do Thiago, era essa, o futebol”, destacou o tio do menor.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da capital (DHC). De acordo com a Polícia Civil, as armas dos agentes envolvidos na ação foram apreendidas e uma perícia foi realizada no local.

A Polícia Militar afirmou que equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) realizavam policiamento na região da Cidade de Deus quando, na esquina da Estrada Marechal Miguel Salazar com Rua Geremias, dois homens em uma motocicleta atiraram contra a guarnição. Após o confronto, um Thiago foi encontrado ferido e não resistiu aos ferimentos. Uma pistola calibre 9mm foi apreendida no local.

4 Visualizações totais
1 Visualizações hoje