Investigadores não deram detalhes se irmã é suspeita de ajudar Danilo Cavalcante, que é condenado a prisão perpétua, fugiu da penitenciária e está foragido há 11 dias. Ela foi detida pelo órgão de Imigração e Fiscalização Aduaneira dos EUA.

A polícia dos EUA afirmou neste domingo (10) que Eleni Cavalcante, irmã de Danilo Cavalcante, foi detida pelo órgão de Imigração e Fiscalização Aduaneira dos EUA (ICE) e deve ser deportada.

Danio Cavalcante foi condenado a prisão perpétua nos Estados Unidos por matar a namorada a facadas, mas fugiu da prisão onde estava, no estado de Pensilvânia, ao escalar o muro do local.

No entanto, os investigadores do caso não deram detalhes se a irmã é suspeita de ajudar Danilo Cavalcante a escapar da prisão, informou o jornal do estado de Pensilvânia, o Philadelphia Enquirer.

Ainda de acordo o Philadelphia Enquirer, o tenente-coronel da Polícia do Estado da Pensilvânia, George Bivens citou que Eleni teve “alguns problemas de imigração”. Segundo a investigação, Danilo Cavalcante entrou ilegalmente nos EUA por ser procurado por outro homicídio, cometido no Brasil.

Neste domingo (10), chega ao 11º dia a caçada pelo brasileiro, que envolve dezenas de policiais, drones e helicópteros. O vídeo dele escalando as paredes para fugir da prisão rodou o mundo. Nos últimos dias, uma atração turística, um jardim botânico, chegou a fechar porque ele foi visto nos arredores. Escolas também foram fechadas e moradores aconselhados a não sair de casa.

Ele foi visto pela última vez na noite deste sábado (9). Diferente de como tinha sido visto a última vez, agora ele está sem barba e sem bigode.

O novo flagra foi feito por câmeras da região de Phoexniville. Isso fica a cerca de 40 km da cadeia de onde Danilo fugiu. Os policiais acreditam que ele possa ter roubado uma van branca e esteja usando o veículo para se locomover.

Força-tarefa
Danilo Sousa Cavalcante fugiu da prisão de Chesco no dia 31 de agosto. Foi criada uma força-tarefa de centenas de agentes que busca pelo brasileiro que inclui agentes das seguintes organizações:

Agentes da Swat;
Delegados federais;
Agentes de polícia estaduais e do condado de Chester.
Ele é condenado à prisão perpétua por matar a ex-namorada, Débora Evangelista Brandão, na cidade de Phoenixville, em abril de 2021. A vítima tinha 34 anos e foi morta a facadas.

De acordo com a imprensa dos EUA, o Ministério Público do Condado de Chester classificou Danilo como “extremamente perigoso”.

Assassinato da namorada
Débora Evangelista Brandão morava nos EUA com os dois filhos quando foi morta. As crianças presenciaram o crime.

Segundo as investigações, Danilo não aceitava o fim do relacionamento e, desde 2020, ameaçava Débora. Além disso, a apuração revelou que Débora descobriu que Cavalcante era procurado pela polícia do Tocantins por ser o principal suspeito pelo assassinato de um homem em 2017.

“Ao saber que o réu tinha mandado de prisão em aberto por homicídio no Brasil, a vítima ameaçou expô-lo à polícia. Os detetives determinaram que esse foi o motivo do assassinato”, afirmou a promotoria responsável pela acusação em comunicado.

De acordo com as autoridades, em 2017, Cavalcante fugiu para Porto Rico e, mais tarde, seguiu para os Estados Unidos, onde entrou ilegalmente.

Danilo foi preso duas horas após o assassinato de Débora e foi condenado pelo crime no dia 16 de agosto.

1 Visualizações totais
1 Visualizações hoje