A vítima registrou dois boletins de ocorrência contra o empresário Fernando Sastre Andrade​. O empresário Fernando Sastre de Andrade, de 56 anos, pai do rapaz que dirigia o Porsche que provocou um acidente fatal na zona leste de São Paulo, é apontado como autor de diversos episódios de agressão contra sua ex-companheira, de 46 anos.

A mulher registrou dois boletins de ocorrência contra o empresário, nos quais o denuncia pelos crimes de violência doméstica, lesão corporal e estupro de vulnerável.

A CNN teve acesso ao conteúdo dos documentos, revelado inicialmente em reportagem do Jornal o Globo.

Segundo informações passadas pela vítima à polícia, o relacionamento dos dois teria iniciado em outubro de 2008 e foi definitivamente encerrado em novembro de 2022, após idas e vindas.

No primeiro registro de ocorrência, feito em julho do ano passado na 5ª Delegacia de Defesa da Mulher, na zona leste de São Paulo. Os fatos reportados teriam acontecido na residência de Fernando, na capital paulista. Na ocasião, foram relatados dois episódios de agressões. A primeira teria sido cometida em maio de 2010, quando ela diz que sofreu um golpe de mata-leão do então companheiro. Por causa da lesão, ela acabou ficando impossibilitada de se locomover e acabou indo morar com o agressor para que sua família não soubesse do ocorrido. A vítima contou ainda que não denunciou o caso na época, pois sentiu vergonha,

No mesmo boletim de ocorrência, ela contou que, em maio de 2017, ela se apresentou com um grupo de dança cigana do qual fazia parte. Fernando teria ficado com ciúme dos homens que estavam na plateia. A vítima afirma que, ao chegar em casa, foi jogada na cama e teve o pé torcido propositalmente pelo companheiro, que teria dito: “agora quero ver você dançar”. Os dedos da mão também teriam sido torcidos. Ela chegou a ser atendida em um hospital particular de São Paulo por causa dos ferimentos. Um terceiro episódio de agressão foi relatado junto aos dois anteriores à polícia. Segundo a vítima, em junho de 2018, ela foi novamente jogada na cama, onde o empresário a teria segurado pelas mãos e pés e puxado seus cabelos. Ela contou também que sofreu ameaças de ser enforcada com o cabo de um carregador.

Posteriormente, em novembro do ano passado, a mulher esteve no 10º DP, no bairro da Penha, para denunciar outros dois casos. A mulher narra que saiu para jantar com o então namorado, em dezembro de 2021, na companhia da mãe e da filha dela. Ao saírem do estabelecimento, as duas foram deixadas em casa.

A mulher conta que estava alterada e se lembra d estar sozinha no carro com o empresário. No outro dia, ela teria acordado despida em um motel. Ao ser questionado, ele disse que ambos tiveram uma relação sexual sem preservativo durante a noite. Ele justificou a relação sob o argumento de que ela era a mulher dele.

Ela denunciou também um episódio ocorrido em 2020, quando o homem teria entrado no apartamento da vítima sem autorização e a abordou pelas costas de surpresa enquanto ela lavava louça.

Neste segundo BO, a mulher conta que Fernando detinha o controle de alguns bens e do cartão de crédito dela, e que ameaçava tirar tudo dela caso o deixasse. Ela também afirmou que o ex possui uma arma de forma ilegal.

Fonte: CNN Brasil.

2 Visualizações totais
1 Visualizações hoje