Quadrilha fingia interesse por compra de equipamentos que custam R$ 2.500 e praticavam o golpe.

Um homem foi preso por aplicar o “golpe do videogame” em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Civil, Matheus Rodrigues Alves, de 25 anos, é integrante de uma quadrilha que praticava estelionato através da internet.

De acordo com as investigações, os criminosos entravam em contato com pessoas que colocavam anúncios de videogames no Marketplace do Facebook, e, por meio de um perfil falso, informavam que um parente teria interesse na compra. Era fornecido um número de celular para negociação no Whatsapp.

Nas mensagens, os golpistas convenciam a vítima a fazer o anúncio em um conhecido site de compra e venda de produtos, onde supostamente possuíam crédito. Então, enviavam comprovante de pagamentos e e-mails falsos de confirmação da transação, em geral de valores acima de R$2.500.

Para dar credibilidade à história, segundo as investigações, os criminosos enviavam uma foto segurando um documento, só que, na verdade, o registro era de uma pessoa que também foi vítima anteriormente.

Em seguida, os criminosos enviavam um motorista de aplicativo, normalmente de boa-fé, para buscar o videogame com a vítima e levar até outro ponto onde encontra-se outro integrante da quadrilha responsável por receber o aparelho. A polícia chegou até os bandidos por meio da denúncia de uma vítima, que desconfiou da ação. Os policiais da Delegacia de Itaipu (81ªDP) seguiram o carro de aplicativo enviado pelo criminoso de Niterói até o encontro com o criminoso na Avenida Niemeyer, em um dos acessos a Comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro, onde a prisão ocorreu.

Durante as investigações, a polícia descobriu que havia outros procedimentos em que videogames foram entregues no mesmo local, próximo à passarela em um dos acessos a Comunidade do Vidigal, assim como foram identificados crimes ocorridos em outubro e dezembro do ano passado, em que o criminoso se passou pela mesma pessoa em trocas de mensagens com as vítimas, enviando foto segurando o documento de um morador de outro estado.

Matheus, que possui oito anotações entre crimes e atos infracionais, como associação para o tráfico de drogas, tortura, homicídio, roubo sequestro, agora vai ser indiciado por tentativa de estelionato, crime de associação criminosa e de resistência.

Fonte: CNN Brasil.

3 Visualizações totais
1 Visualizações hoje