Concessionária também terá que restabelecer em 24 horas a energia de todos os clientes afetados pelas chuvas ocorridas na capital desde segunda-feira (8).

A Justiça autorizou na última sexta-feira (12) a prefeitura de São Paulo a fazer o monitoramento por GPS dos veículos da concessionária Enel responsáveis por atendimentos de ocorrências relacionadas a eventos climáticos na capital.

ADVERTISING

Na decisão, a juíza Gisela Aguiar Wanderley determinou que, após uma ocorrência, a empresa terá de informar quanto tempo levou para fazer o atendimento, quantas equipes disponibilizou para e quais as dimensões da situação.

Além disso, a Enel terá que restabelecer em 24 horas a energia de todos os clientes afetados pelas chuvas ocorridas na capital desde segunda-feira (8). O não cumprimento da decisão pode gerar sanções e multas para a distribuidora.
intensificaram após um apagão deixar ao menos 290 mil imóveis sem energia elétrica em novembro do ano passado.

Durante um encontro com jornalistas na última quarta-feira (10), Nunes criticou a distribuidora. “Vamos fazer representação na Agência Nacional de Energia Elétrica [Aneel], porque essa empresa tem que sair daqui. Nós estamos no local agora sem energia. Estamos nesse sofrimento com uma empresa que fala que tem plano de contingência, mas que não cumpre”, disse.
Segundo a prefeitura, Nunes já solicitou à Aneel o cancelamento do contrato de concessão da energia elétrica da cidade de São Paulo com a Enel.

Em ofício encaminhado a agência, a Procuradoria-Geral do Município afirma que a concessionária revelou-se incapaz de garantir o atendimento aos consumidores e ao poder público da cidade durante eventos climáticos.

“O Município de São Paulo requer a essa agência reguladora que informe quais as providências que tenham adotado em face da conduta da concessionária federal na Cidade de São Paulo, desde a comunicação anterior, cabendo-lhe fiscalizar a operação da concessionária, de modo a garantir que ela, com agilidade e eficiência, restaure o fornecimento de energia elétrica aos munícipes paulistanos e aos próprios equipamentos públicos municipais, em caso de chuvas e outros eventos climáticos, sempre garantindo a transparência e a efetividade na atuação da concessionária” diz trecho do documento.

Fonte: CNN Brasil.

1 Visualizações totais
1 Visualizações hoje