Funcionários da Clínica da Família Ivanir de Mello, em Ricardo de Albuquerque, desconfiaram da Declaração de Nascido Vivo (DNV) e do Cartão de Vacinação que, aparentemente, não tinham os dados do menino.

Uma mulher foi presa depois que a polícia descobriu que ela usou documentos fraudados para se passar por mãe biológica de um recém-nascido.

Os investigadores da 31ª DP (Ricardo de Albuquerque) chegaram até Cláudia Luiza Mattos após funcionários da Clínica da Família Ivanir de Mello, em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte, desconfiarem da Declaração de Nascido Vivo (DNV) e do Cartão de Vacinação que, aparentemente, tinham a supressão dos dados de um menino de apenas 10 dias de vida.

Segundo os funcionários do serviço social da clínica, os documentos da criança foram adulterados para que Cláudia fosse considerada a mãe da criança. A Polícia Civil foi acionada e detectou a fraude.

Os investigadores, então, foram até a casa da falsa mãe, em Campo Grande, na Zona Oeste, que confessou que fraudou o documento.

A criança, que era cuidada pela tia da suspeita, estava em uma outra residência. O menino foi levado para o Conselho Tutelar, passou por atendimento pediátrico e seguiu para um abrigo. Seu estado de saúde foi considerado bom.

A mãe do menor foi identificada como sendo Ana Paula Martins. Ela ainda não foi localizada.

Segundo a Polícia Civil, ela será intimada, juntos com outros parentes, e terá que esclarecer o motivo de a criança estar com um registro falso em nome de Cláudia Luíza.

A falsa mãe vai responder por falsidade ideológica.

2 Visualizações totais
1 Visualizações hoje