Ex-parlamentar, que foi senador até o ano passado pelo Solidariedade, é acusado de matar a mãe de uma filha sua que, em 2022, acusou Telmário Mota de estupro. A Polícia Civil de Roraima (PCRR) tenta prender nesta segunda-feira (30) o ex-senador Telmário Mota, suspeito de tentar matar Antônia Araújo de Sousa, de 52 anos. Ela era mãe de uma filha dele que, no ano passado, acusou o político de estupro.

A PCRR, em parceria com a Polícia Civil do Distrito Federal, cumpre ainda outros dois mandados de prisão e mais sete de busca e apreensão em Boa Vista e Caracaraí, em Roraima, e em Brasília.

Segundo a PCRR, Antônia foi assassinada no dia 29 de setembro. No momento do disparo, ela estava saindo de casa para trabalhar, por volta das 6h30, em Boa Vista, capital do estado. Um homem perguntou seu nome e, ao ouvir a confirmação, deu um tiro em sua cabeça.

A ação é coordenada pelo Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) acontece no âmbito da Operação Caçada Real, cujo nome remete ao nome da fazenda do ex-senador.

Telmário Mota, que foi senador por Roraima de 2015 a 2023 e teve como último partido o Solidariedade, seria o mandante do crime e é alvo de um dos mandados de prisão. O homem que teria executado o assassinato e outro que teria atuado na logística e no planejamento do crime também tiveram suas prisões decretadas. À analista da CNN Larissa Rodrigues, o Solidariedade afirmou que o político de 65 anos foi desfiliado no dia 17 de outubro. A sigla não soube dizer se ele deixou o partido porque quis ou se foi expulso.

3 Visualizações totais
1 Visualizações hoje